Turismo Zamora

FESTAS E ROMARIAS



Romaria do Cristo de Morales:

Realmente esta romaria pertence a Morales del Vino, povoação da província situada a 4 km de Zamora, mas na qual participam muitos zamorenses pela sua proximidade. Inclusivamente durante esse dia o Município da cidade disponibiliza autocarros para que os zamorenses se desloquem à Ermida de Cristo, lugar onde tem lugar a romaria.
Celebra-se a 9 de maio e, durante a noite anterior e o próprio dia de celebração, os romeiros dirigem-se aos prados de Cristo para merendar. Em redor da ermida há bancadas onde se vendem avelãs e rosquilhas. Também se podem saborear diferentes pinchos (espetadinhas) e tapas.
Às 10.00 horas sai a procissão da Igreja de Nossa Senhora da Assunção para a Ermida del Santísimo Cristo de Morales. A chegada é perto das 11.00 horas, seguindo-se a missa. Depois da missa, romaria nos arredores e, por volta das 21.00 horas, regresso da procissão da Ermida até à Igreja de Nossa Senhora da Assunção.
Neste dia não é feriado na cidade.


Romaria do Cristo de Valderrey:

Celebra-se no primeiro domingo de Páscoa na Ermida de Cristo situada a cerca de 4 km de Zamora. O Cristo de Valderrey encontra-se durante o ano na Igreja do Espírito Santo na capital. No dia da romaria, às 9.00 horas da manhã, o Cristo é levado em procissão, da Igreja até à Ermida de Valderrey. Uma vez aí, celebra-se Missa e, seguidamente, a Procissão segue pelos arredores de Valderrey para proceder à “bênção dos campos”. Já de volta à Ermida, celebra-se uma Missa Solene. Quando termina a missa, a romaria continua com bailes, cantos tradicionais e a típica “comida de campo”. Ao redor da Ermida existem bancadas onde se podem comer tapas, beber limonada e outras onde se vendem avelãs e as tradicionais rosquilhas de Cristo.


Feiras e Festas de São Pedro:

Tem lugar em 29 de junho, a festa de São Pedro, patrono da cidade de Zamora juntamente com Santo Ildefonso. Durante cerca de dez dias, a cidade fica repleta de atividades de todos os tipos, culturais, desportivas, musicais, entre outras, destinadas a públicos de todas as idades. Durante estes dias celebram-se também feiras de grande tradição na cidade, tais como a “Feira da Cerâmica” e a “Feira do Alho”.


Semana Santa:

Declarada de Interesse Turístico Internacional em 1986. A sua tradição remonta ao século XIV. É a festa principal da cidade, destacando-se a encenação dos seus desfiles processionais (17 confrarias). Austeridade, silêncio, religiosidade e expressividade são as suas principais características.


Feiras e Festas de Setembro. Virgem da Concha:

Celebrada no dia 8 de setembro, a festa da Virgem da Concha tem programada uma série de atos que duram um número de dias variável de ano para ano. O mais importante é o dia em que se celebra a procissão pelas ruas de Zamora até à Catedral, levando a imagem da Virgem da Concha. No Templo realiza-se a já tradicional oferenda floral, na qual cidadãos de Zamora e da Província, ataviados com trajes típicos de cada zona, colocam em volta da Virgem ramos de flores. Em seguida, celebra-se a Eucaristia na Catedral.
Outro tipo de atos que têm lugar nestas datas são: torneios desportivos, o encontro das “Encaixadoras”, Verbenas populares, Festivais de folclore, concertos tanto de música clássica como de música atual, entre outros.
A Virgem da Concha foi achada na cripta de San Antolín, em Palência, pelo rei Sancho, o Grande, no ano de 1032.
No ano de 1062 foi levada para Zamora pelos próprios palentinos, que tal como se crê vieram para repovoar a cidade ou para a defender de um ataque muçulmano, ainda que não haja evidência histórica de tal facto. No ano de 1100 foi ajuramentada como padroeira da cidade.
A imagem da Virgem estava fortemente ligada à corporação dos Mestres da Lã, principalmente palentinos.
A sede da imagem, a igreja de San Antolín, está situada num dos bairros da cidade chamado “La Lana” (A Lã) onde se instalaram numerosos tecelões zamorenses.


Romaria de La Hiniesta:

Celebra-se na primeira segunda-feira de Pentecostes. Desde há sete séculos, a Virgen de la Concha (Patrona do Município de Zamora) é levada em romaria até à localidade de La Hiniesta, situada a 8 km da cidade. Esta tradição comemora a descoberta da imagem da Virgen de la Hiniesta (Virgem da Giesta) pelo rei Sancho IV, no lugar onde se encontra a povoação. O percurso da romaria é o seguinte:
Às 8.00 horas celebra-se na igreja de San Antolín (em Zamora), a “missa dos romeiros”. Em seguida sai a imagem da Virgem em procissão em direção a La Hiniesta. No trajeto realizam-se diversas paragens.
- Na Igreja de São Lázaro onde se reza uma Salve Rainha perante a imagem da Virgen del Yermo (Virgem do Ermo) e todos os vizinhos da zona enchem o caminho da Virgem da Concha com flores do campo.
- No Cruzeiro de El Rei Dom Sancho onde se reza um responsório pelo monarca e se dá o Menino em adoração.
- No Terreiro da Salve onde se canta a Salve Rainha e se reorganiza a procissão, que segue até La Hiniesta para ser recebida pelo Alcaide e pelos vizinhos.
Durante o trajeto os romeiros também fazem pequenas paragens em algumas das quintas existentes no caminho, onde os mordomos convidam todos os participantes da romaria a tomar limonada e comer pastéis de massa e onde estes dançam e cantam as modas próprias de Zamora e da sua província. Ao chegar a La Hiniesta entra-se com a Virgem da Concha no templo e celebra-se a Eucaristia. A festa romeira continua com uma refeição na localidade de La Hiniesta.
Cerca das 17.00 horas regressa-se a Zamora, fazendo uma paragem na Ermida do Cristo de Valderrey onde os mordomos e os romeiros que o desejem rezam o Rosário. No prado do Cristo merenda-se e os mordomos convidam novamente os assistentes a comer doces e a tomar limonada. Dali, e cruzando o Bosque de Valorio com a imagem da Virgem da Concha, chega-se à cidade e faz-se a última paragem na Ermida dos Remédios onde se canta a Salve Rainha e se incorpora o Município.
Cerca das 22.00 horas a Virgem da Concha fará a sua entrada na Igreja de San Antolín.